Sobre nós

Sobre nós

O Grupo HELP criou este site para ser a principal fonte de informações sobre o Sangramento Uterino Anormal. O Conselho Editorial trabalha em conjunto para revisar o conteúdo do site e garantir que ele seja sempre cientificamente preciso, confiável e atual.

A plataforma educacional HELP SUA é endossada pela Sociedade de Endometriose e Distúrbios Uterinos (SEUD). O objetivo do SEUD é fornecer uma plataforma científica internacional que suporte o melhor gerenciamento de doenças ginecológicas benignas e disfunções uterinas relacionadas. Ao compartilhar conhecimento e aumentar a conscientização sobre um grupo de doenças que afetam a saúde das mulheres, o SEUD visa melhorar o manejo da doença e reduzir o impacto sobre a vida das mulheres. A plataforma educacional HELP SUA está alinhada com esses objetivos, fornecendo informações científicas e abrangentes para profissionais de saúde, pacientes e público interessado em SUA, uma condição muito comum associada a múltiplas doenças ginecológicas.

Sobre nós
  • Barcelona

    Professor Joaquim Calaf , Espanha, Barcelona

    Professor Joaquim Calaf
    Professor Joaquim Calaf
    Joaquim Calaf é Professor e Presidente do Conselho da Universidade Autônoma de Barcelona, Barcelona, Espanha.

    “Frequentemente o Sangramento Uterino Anormal não é detectado e, consequentemente, não é tratado. A falta de consciência sobre a frequência e de ferramentas para detectá-lo são as principais causas. Um instrumento que forneça informações e habilidades para pacientes e profissionais da saúde será muito valioso para melhorar a saúde e a qualidade de vida da mulher.”

  • EUA

    Professor William Catherino , Bethesda, MD, EUA

    Professor William Catherino
    Professor William Catherino
    William Catherino é Professor e Presidente da Divisão de Pesquisa da Uniformed Services University of the Health Sciences, Bethesda, MD, EUA.

    “Uma melhor compreensão do Sangramento Uterino Anormal capacita as mulheres a individualizar e buscar o tratamento ideal para ela”

  • França

    Dr. Jean-Philippe Estrade , Marselha, França

    Dr. Jean-Philippe Estrade
    Dr. Jean-Philippe Estrade
    Dr. Jean-Philippe Estrade é um Cirurgião Ginecológico na Clinique Bouchard-Elsan, Marselha, França.

    “Na França, do ponto de vista epidemiológico, 44% das mulheres vivenciaram desconforto durante seus períodos, apenas 24% das mulheres discutem seus períodos com o parceiro e 19% nunca discutiram o assunto com ninguém.

    Além disso, 43% das mulheres ainda se sentem envergonhadas quando compram produtos de higiene feminina. Entre as jovens, a menstruação é vivenciada como uma deficiência, com a impossibilidade de levar uma vida diária normal (48%) na escola e dificuldade em participar de atividades esportivas (45%).

    Um site dedicado à educação do período menstrual normal e patológico é absolutamente necessário para uma melhor compreensão do SUA por mulheres e médicos. Esse conhecimento pragmático contribuirá para uma melhor aceitação dos tratamentos desenvolvidos em um contexto de um projeto terapêutico compartilhado”

  • Japão

    Dra. Kaori Koga , Tókio, Japão

    Dra. Kaori Koga
    Dra. Kaori Koga
    A Dra. Kaori Koga é Professora Associada do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Hospital da Universidade de Tóquio, Tóquio, Japão.

    “Muitas mulheres que não procuram tratamento para o SUA não sabem que o SUA está diminuindo sua qualidade de vida. Precisamos de um site educacional para que possamos fornecer o conhecimento adequado a essas mulheres, bem como aos profissionais da saúde que as tratam, para que possam viver melhor, à medida que receberem o tratamento adequado.”

  • Brasil

    Professor Agnaldo Lopes da Silva Filho , Belo Horizonte, Brasil

    Professor Agnaldo Lopes
    Professor Agnaldo Lopes da Silva Filho
    Agnaldo Lopes é Professor Titular e Integral do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

    “O Sangramento Uterino Anormal (SUA) pode ser uma condição séria e debilitante que afeta 1 em cada 3 mulheres em todo o mundo. As percepções das mulheres sobre o que é “normal” em relação à menstruação dependem em grande parte de sua compreensão da menstruação. Quando uma mulher se apresenta com períodos intensos, ela não deve acomodá-los ou aceitá-los como de costume. O site sobre SUA tem como objetivo construir uma visão mais abrangente das atitudes e crenças das mulheres em torno do SUA.”

  • Canadá

    Dr. Sony S. Singh , Ottawa, Ontário, Canadá

    Dr. Sony Singh
    Dr. Sony S. Singh
    O Dr. Sony S. Singh é diretor de Ginecologia Minimamente Invasiva da Universidade de Ottawa, Ottawa, Canadá.

    “O Sangramento Uterino Anormal é uma condição que afeta milhões em todo o mundo, no entanto, a maioria sofre em silêncio. Educação e argumentação ajudarão a capacitar meninas e mulheres a falar e pedir ajuda quando necessário. Este site tem a capacidade de alcançar todas aquelas afetadas quebrando o silêncio.”

  • China

    Professora Xin Yang , Pequim, China

    Professora Xin Yang
    Professora Xin Yang
    Xin Yang é Professora de Ginecologia no Peking University People’s Hospital, Pequim, China.

    “Muitas mulheres na China acreditam que o Sangramento Uterino Anormal representa a função reprodutiva, e que a menstruação tem um efeito de desintoxicação, o que significa que as pacientes muitas vezes não consultam um médico sobre o SUA até que tenham anemia. Um site educacional de SUA é necessário e muito importante para os Profissionais da Saúde e para as mulheres.”

  • Itália

    Dra. Silvia Vannuccini, Florença, Itália

    Dra. Silvia Vannuccini
    Dra. Silvia Vannuccini
    A Dra. Silvia Vannuccini é Membro de Pesquisa Clínica do Careggi University Hospital, em Florença, Itália, trabalhando em estreita colaboração com a SEUD.

    “O Sangramento Uterino Anormal é uma condição que afeta aproximadamente 30% das mulheres em idade reprodutiva. É definido como perda excessiva de sangue menstrual, levando à interferência na qualidade de vida física, emocional e social, a conscientização da condição é crucial.

    De fato, quase metade das mulheres afetadas não consultam um médico quanto aos sintomas do SUA, pois a condição é considerada normal na maioria dos casos. Um site de educação é vital para melhorar a compreensão e a conscientização do SUA.

    A detecção de casos pode ser maximizada se as mulheres estiverem cientes da apresentação do SUA, e também há uma grande conscientização entre os Profissionais da Saúde a nível de cuidados primários. Aumentar a conscientização através do site do SUA representa uma parte integral das estratégias de promoção da saúde para a saúde da mulher, em particular para aquelas que sofrem dessa condição incapacitante.”